terça-feira, 6 de julho de 2010

A Disneyzação da Cultura Infantil



Henry A. Giroux tornou-se crítico cultural a partir da convivência com seus filhos. Como pai solteiro de três garotos, Henry A. Giroux foi inserido no mundo dos filmes animados de Hollywood, em específico, os da Disney. Ao assisti-los constantemente, ele percebeu que os filmes ultrapassavam a esfera do divertimento. A partir disso, Giroux começou analisar, de forma crítica, a cultura infantil.
Giroux (1995) observou que os filmes inspiram tanto a autoridade cultural e legitimidade para ensinar papéis específicos, ideais e valores quanto locais de aprendizagem (escolas, instituições religiosas e família). Diante disso, fica explícito que  a ideologia da Disney forma a identidade das crianças.
Para o autor

Nas versões televisivas e hollywoodianas da cultura infantil, os personagens dos cartoons se tornam protótipos para uma ofensiva de marketing e de merchandising, e dramas de vida reais (ficcionalizados ou não), se tornam um veículo para estimular a crença de que felicidade é sinônimo de viver num bairro rico com uma família de classe média, branca e intacta. ( GIROUX, 1995, p.52)
  
Os filmes animados reforçam a ideia de homogeneidade cultural. As outras crenças são excluídas e/ou marginalizadas pelos mesmos. 
Outro ponto ressaltado pelo autor é a aparente ingenuidade dos filmes. Essa característica pode ser entendida como jogada de marketing, pois

a pretensão da Disney à inocência se apresenta para alguns críticos como pouco mais que uma máscara promocional que oculta suas agressivas técnicas de marketing para educar as crianças para as virtudes de se tornarem consumidoras ativas. (GIROUX, 1995, p.56)

O objetivo da Disney é transformar, através do comércio de seus inúmeros produtos, as crianças em consumidoras. Agindo assim, ela acaba mercantilizando a cultura infantil.
A Disney deve ser analisada pelos pais e professores (as), pois seus filmes moldam os valores das crianças. Giroux afirma que:

é importante discutir os filmes animados da Disney sem simplesmente condená-la como uma empresa ideologicamente reacionária, promovendo, de forma mistificadora e sob o disfarce do entretenimento, uma visão conservadora do mundo; mas tampouco devemos simplesmente celebrá-la como uma fonte de alegria e felicidade para as crianças de todo o mundo. (1995, p.58) 

Os filmes animados da Disney precisam ser questionados, pois eles constroem a cultura infantil. Sendo assim, os mesmos não podem passar despercebidos pelos adultos.
Pais, mães e educadores (as) precisam observar como os filmes são compreendidos pelas crianças, pois “questões referentes à construção do gênero, da raça, da classe, da casta e outros aspectos do eu e da identidade coletiva são princípios definidores dos filmes infantis da Disney” (GIROUX, 1995, p.74)
Diante disso, torna-se necessário a leitura crítica desses filmes, para evitar que a ideologia da Disney seja concebida, pelas crianças, como verdade absoluta.
 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
GIROUX, Henry A. “A Disneyzação da Cultura Infantil”. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. MOREIRA, Antonio Flavio (Orgs.). Territórios Contestados – O Currículo e os Novos Mapas Políticos e Culturais. Petrópolis: Vozes, 1995, p.49-81.

Um comentário:

  1. A reflexão sobre o texto ficou excelente, demonstrando compreensão e indo além, apontando alguns aspectos críticos. Além disso, faz algumas relações com a realidade...

    ResponderExcluir